[PODCAST] EP#08 Fernanda Belfort

Lifelong learning não é só uma expressão da moda. Para Fernanda Belfort, executiva que tem Microsoft, Reckitt Benckiser, Kimberly-Clark e Mondelēz no currículo, o aprendizado contínuo é um forma de se reinventar e se permitir explorar diferentes desafios na carreira. Neste episódio, Davi Cury e Beto Sirotsky conversam com Fernanda sobre a importância de ser um(a) eterno(a) aprendiz.

Ouça também no Spotify, Deezer e Apple Podcasts.

A pandemia e as plataformas

Enquanto a grande maioria dos negócios sofreu o impacto negativo da pandemia em 2020, alguns se mostraram prontos pra crescer em plena crise. Beto Sirotsky fala sobre os negócios pautados em plataformas digitais e os benefícios observados.

Quando a pandemia causada pela covid-19 se instalou em nosso planeta, surpreendendo a todos, muitos foram obrigados a repensar seu dia a dia e, em especial, suas atividades profissionais e suas empresas. Porém aqueles que baseiam seu modelo de negócios em plataformas digitais aproveitaram o momento para acelerar e crescer. Mercado Livre, se transformou na marca de maior valor na América Latina. iFood e Rappi, desde março deste ano, são exemplos de sucesso. Em comum, o modelo de marketplace  que, por meio de tecnologia, conecta pessoas e empresas, promovendo encontros que possibilitam a realização de bons negócios.

Leia Mais

[PODCAST] EP#05. BPool by BPool

Diferente dos quarto episódios anteriores, dessa vez não temos tivemos um convidado. Tivemos cinco! Ou nenhum. Depende do ponto de vista.

No quinto episódio do podcast B IS THE NEW A, Daniel Prianti, Beto Sirotsky, Davi Cury, Nuno D’Eça e Patrick Ferraro, os cinco sócios à frente da operação da BPool, batem um papo sobre as motivações, as ideias e, de forma resumida, tentam responder algumas das perguntas que temos ouvido no mercado. Ouça abaixo!

Se você ainda tem dúvidas sobre a BPool ou gostaria de mandar algum feedback ou sugestão, escreva pra gente! Vai ser um prazer trocar ideias contigo!

Open Advertising: a arquitetura aberta da publicidade

Em texto também publicado pelo Meio&Mensagem, Daniel Prianti, Sócio-Executivo da BPool, propõe um ensaio para o futuro da publicidade: o Open Advertising.

A partir do segundo semestre de 2020 começa, oficialmente, a primeira de quatro etapas de implementação do open banking no Brasil. O compartilhamento de dados, produtos e serviços, somado a integração de plataformas e infraestruturas financeiras, tende a dar aos clientes uma oferta melhor e mais ampla de escolha e autonomia. Do lado do mercado, eleva-se a competitividade e eficiência com a multiplicação de fintechs, oferecendo soluções que vão desde todas as modalidades de créditos, investimento e seguros, até contas e carteiras digitais. A tendência é os players mais tradicionais também melhorarem, ao repensarem seus modelos com foco no que podem fazer de melhor para seus clientes. Essa multiplicidade de ofertas acaba gerando também uma necessidade maior de curadoria. De forma geral, todos ganham.

Leia Mais

[PODCAST] EP#03. Pedro Tourinho

No terceiro episódio de B IS THE NEW A – THE PODCAST, conversamos com Pedro Tourinho. Empresário, escritor e publicitário, Pedro é fundador da MAP Brasil e da Soko.

Especialista em relação entre marcas e celebridades e em narrativas no universo digital, Pedro destacou a importância das marcas se posicionarem naquilo que é verdade pra elas.

“Não adianta embarcar numa corrente de hashtags se isso não é uma verdade pra sua empresa”. Confira abaixo o episódio na íntegra.

E aí, o que achou? Nos mande seus comentários e compartilhe com quem mais você acha que pode gostar deste conteúdo!

[PODCAST] EP#02. Rafael Souza

Rafael Souza, Head de Comunicação & Branding da Nestlé, foi o convidado do segundo episódio de B IS THE NEW A – THE PODCAST e conversou conosco sobre o comunicação em tempos de pandemia, o papel dos brand managers e a importância de um ecossistema criativo bem populado.

“A beleza, pra mim, é justamente entender que não tem one size fits all e, dependendo do tamanho da marca e do tamanho do problema que a marca tem, você precisa de parceiros diferentes.”

Gostou deste episódio? Inscreva-se para receber nossa newsletter ou nos siga nas mídias sociais!

B: o novo A?

Ao longo da minha experiência e conversando com amigos e colegas, vi que a maioria sempre avaliou os fornecedores através dos números. Número de funcionários, de marcas atendidas, presença em X países, metragem do escritório, entre outros tantos que poderia ficar citando. Não sei precisar porque, mas acredito que isso tem a ver com a cultura e maneira de pensar dessa geração e até mesmo a influência das gerações anteriores, que tinham como principal objetivo a estabilidade.

De uns tempos para cá, isso mudou. Cada vez mais, nota-se como o indivíduo que está por trás de uma empresa, é o fator determinante para que ela seja escolhida como fornecedora. Não só o lado profissional desses indivíduos, sua reputação é formada pelos seus feitos, experiência e também pelo propósito que guia suas vidas, sua vida pessoal inclusa. Tudo isso se reflete na empresa que ele representa.

Leia Mais